Guia regulagem de carburação 2 Tempos. p/ Vela babada!

Espaço destinado a preparação de motores, suspensões, freios, e etc...ou questões técnicas que envolvam conhecimento de mecânica, engenharia de motores, composição de combustíveis, etc....também devem ser postados aqui.

Guia regulagem de carburação 2 Tempos. p/ Vela babada!

Mensagempor Elton » 05 Maio 2007 à51 19:48


Pessoal, esta resposta eu recebi num forum americano e quero compartilhar! Está adaptado do original, e eu não lembro o autor, pois copiei no meu computador.

Tem passo a passo de regulagem, desde gicle de baixa, parafuso de ar, gicle de alta, pistonete, bóia!
E este grafico que eu fiz resume o que diz o texto.
Imagem Imagem
E o negócio que eu uso pra medir óleo, 5 reais em lojas de artigos pra hospital, seringas, cadeiras de roda etc..


É legal para repensarmos alguns conceitos, como ja vi alguns fazerem até 1% de óleo no premix! Óleo não vai estragar seu motor.
É importante aproveitar só o que interessa, façam suas interpretações, pois algumas idéias sao um pouco absurdas, como 55 ml/L de óleo/gasolina.
Porém, fala coisas muito explicativas, vai te ensinar a entender a mistura e o problema de vela babada, motor muito quente, entre outros.
Ensina a regular o carburador, até para uma moto que está sendo feita pela 1a vez, tipo projetos alienígenas.

Eu fiz a seguinte colocação num tópico que falava sobre taxa de premix, e achei que todos usavam muito óleo no combustível (ao meu ver), algo como 40ml/L (25:1), então fui dar uma de bom que eu que sei fazer premix.... Olhem só a patada q eu levei! rsrs tudo em ingreis

Eu uso 65:1 (15ml/L) a vida toda, e minha moto anda muito bem, porém ultimamente acontece que apos aterrisar em recepçoes de saltos, após uma breve parada de acelerar, as vezes a moto da uma afogadinha...

E o pior, meu mecanico mandava usar 1% (10ml/L), do motul 800, mas eu nao achei interessante. Enfim... a patada:

REGULAGEM DO CARBURADOR E DA MISTURA 2T
Proelton,
65:1 (15ml/L ou 75ml/5L) não é bastante óleo para nenhuma moto nem que só der uma pequena volta na quadra. E 100:1 é simplesmente estúpido para uma moto de 10.000 RPM.

Eu geralmente não entro em discussões de mistura de óleo, pois esse assunto é como religião para a maioria das pessoas, e eles tendem a ser cabeça dura no assunto, mas vou dar meu ponto de vista.

Há um mito de que menos óleo é melhor, e que o óleo da caixa é o que lubrifica o motor. E há também a crença de que vela babada é muito óleo no premix do combustível . Ambas estão erradas. A “parte de cima” (vira brequim, biela, rolamentos e pistão-camisa) do motor é lubrificada pelo óleo residual que se forma na câmara do virabrequim. O que o óleo da mistura faz é reabastecer este óleo. E vela babada é causada por carburação rica (giclagem errada).

Quando um carburador é regulado rico demais, o excesso de combustível rouba calor do processo de combustão, causando a temperatura da câmara de combustão a cair a ponto de não conseguir queimar o óleo, ou até mesmo o combustível todo. O resultado são depósitos e vela babada. Vela babada não é nada mais que combustível e óleo queimado parcialmente.

Se você tem problema de excesso, você tem problema de carburação. Você não se livra do excesso reduzindo o óleo, você se livra disso arrumando os giclês do carburador. Carburador correto irá produzir uma mistura de ar/combustível de aproximadamente 14:1 (gramas), o que vai produzir temperaturas de combustão na faixa de 1200º C. Isto vai fornecer calor suficiente para queimar o óleo da pré-mistura do tanque.

Você não escolhe uma taxa de mistura baseado em vela babada, você escolhe essa taxa baseado na quantidade de óleo que seu motor precisa para fornecer proteção às peças e vedação aos anéis do pistão. O conceito errado é que taxas de mistura são iguais para todo mundo, quando na verdade isto está longe da verdade. A quantidade de óleo que é correto para um piloto na sua moto, pode não ser óleo suficiente para outro piloto, ou pode ser muito óleo. Tudo depende da situação do motor, estilo de pilotagem, e quão duramente você vai exigir o motor.

A melhor maneira de determinar se você está usando a mistura certa é averiguar a quantidade de óleo residual que se forma na câmara do vira brequim retirando o cilindro. Se a taxa de mistura estiver deixando 2,5 cm de óleo sobrando na câmara, então você está correto. Se você não tem tanto óleo residual na câmara quando você tira o cilindro, você não está usando óleo suficiente para seu tipo de pilotagem.

Com isto dito, ter esta quantidade de óleo residual na câmara do virabrequim, usando uma mistura de 50:1 (20ml/L) como diz uma crença de revistas de moto, ou você não está pilotando forte suficiente, ou seu carburador está regulado rico demais simplesmente para entregar óleo suficiente. Eu cheguei em 26:1 para minha moto com meu estilo de pilotagem, porque esta é a mistura que me dá a formação suficiente de óleo residual na câmara do virabrequim. Motores de pequena cilindrada requerem mais concentração de óleo no combustível do que motores grandes para alcançar a quantidade certa de óleo residual na câmara do vira brequim, porque eles giram mais rápido e tem maior velocidade de admissão. Na mesma linha, alguém que exige mais do motor, e mantém o giro alto, também necessita mais concentração de óleo para manter o óleo residual.

Para entender porque o óleo residual é tão importante, você precisa entender o que acontece com o óleo do combustível quando ele entra no motor. Enquanto o óleo continua suspenso na gasolina líquida, ele não consegue lubrificar nada. Ele tem nesse ponto, tanta lubrificação quanto a própria gasolina pura. Quando a gasolina entra no motor, ela evapora, derrubando o óleo que estava em suspensão. Agora o óleo está livre, ele pode lubrificar o motor, mas ele precisa alcançar as peças para lubrifica-las. O meio que ele usa para chegar nos rolamentos e no cilindro é sendo jogado por tudo pelo giro do vira brequim, e sendo distribuído pelo motor pelas correntes de ar que se movem pela câmara do vira brequim. Os rolamentos principais são lubrificados por alguns pequenos orifícios existentes acima do assento do rolamento.

As pessoas acreditam que o óleo passa direto pelo motor, mas não é isso. Pode levar até 90 minutos para o óleo entrar no motor e ser queimado e reciclado.

O óleo eventualmente alcança a câmara de combustão, onde é queimado, ou passa direto para o escapamento, Se a temperatura da câmara de combustão está muito baixa, como em um motor que está com o carburador rico demais, o óleo não queima completamente. Ao invés disso, uma parte desse óleo endurece em depósitos na câmara de combustão, no pistão e na válvula (algumas motos). O resto é a conhecida baba. A chave para tudo isso trabalhar em harmonia, é regular o carburador para fazer uma mistura pobre suficiente que manterá a temperatura de combustão alta, mas que também seja capaz de fornecer óleo suficiente para proteger o motor. Se você usa óleo suficiente, você pode regular o carburador na sua melhor performance sem deixar o motor faminto por óleo, e ter potência excelente, com resíduos mínimos na vela e pistão. Com 50:1, você simplismente não consegue regular o carburador pobre suficiente sem risco de ter um motor danificado devido a falta de óleo.

Com a alta concentração de óleo que eu uso, eu tendo a ter uma vida útil muito maior do meu motor do que meus amigos que usam menos óleo. A alta taxa de óleo também produz maior vedação dos anéis, então mais pressão da combustão é aproveitada.

Um pequeno detalhe: ninguém jamais quebrou um motor por excesso de óleo.

Agora chegamos ao ponto da vedação dos anéis. Sozinhos, os anéis não podem vedar o cilindro. Eles precisam óleo para fornecer uma vedação completa contra a parede da camisa. E até um ponto, mais óleo vai causar melhor vedação.

Eu executei testes em dinamômetro sobre esse assunto, como projeto de uma escola técnica. Nós usamos um dinamômetro, e um motor zero (parte de cima) a cada teste. Nós usamos giclês especialmente calibrados para confirmar o fluxo de combustível estava igual para cada teste de taxa de mistura de óleo, e aquecemos o motor a 3000rpm por 3 minutos antes de cada teste. Nossos testes foram realizados numa faixa de rotação de 2500 a 9000, com o pico de potência de nossa moto usada ('86 YZ 250) acotecendo a 8750 rpm. Nós testamos a 76 graus F, a 65% de umidade relativa. Nós iniciamos a premix em 10:1 e fomos até 100:1. Nossos resultados mostraram que um motor 2t libera sua maior potência em uma mistura de 18:1 (55ml/L). Menos óleo que isso e o motor rodava mal, porque nos não tínhamos giclês gordos suficientes para compensar essa quantidade de óleo no combustível. A perda de potência de18:1 a 32:1 era de aproximadamente 2%. A perda de potência de 18:1 a 50:1 era de aproximadamente de 9%. Num motor moderno de 250cc, isso pode significar até 4hp. A perda de potência de 18:1 a 100:1 era de aprox. 18%. A razão para a diferença de potência é simples. Mais óleo fornece melhor vedação entre os anéis e a camisa.

Agora, imagine que 18:1 é impraticável a menos que você pilote sua moto a rpm de pico o tempo todo. Mas usar misturas razoáveis de 32:1 vai fornecer mais potência, e dar mais proteção ao seu motor, e ainda fazendo ele durar mais.

Uma moto 2t regulada corretamente nunca irá babar velas, não importa quão rápido, devagar ela seja pilotada. E a quantidade de óleo na mistura não tem nada a ver com vela babada. É tudo carburação. Eu usei 26:1 por muitos anos, e eu não lembro aúltima vez que babei uma vela. Eu troco minhas velas sepre que faço o motor, só para prevenção. Aprenda como calibrar o carburador, e sua vela ira parar de babar, não imporá qual taxa de mistura você use no combustível.

Um carburador corretamente regulado faz tremenda diferença em torque, baixa, media e alta do seu motor. Se você nunca regulou seu carburador, você provavelmente vai ganhar performance em algum ponto da faixa de rpm do seu motor.

Giclês corretamente regulados podem fazer a diferença entre ter que puxar a embreagem da moto na saída de uma curva ou não. Dificuldades ao ligar a moto quando quente ou fria, resposta lenta quando abrindo acelerador, relutância em lenta, tudo isso são sintomas de um giclê de baixa errado ou um parafuso de ar incorretamente aberto.

A agulha pode fazer toda diferença do mundo para a potência do motor na maioria das situações, pois ela controla a faixa de acelerador que os pilotos gastam a maior parte do tempo usando.

Um giclê de alta corretamente aplicado pode significar a diferença entre ser capaz de dar super rotação no motor para não precisar trocar de marcha mais uma vez no fim de uma reta, ou ter a potência achatada na altíssima rotação e ter que trocar mais uma marcha.

Sua moto está babando velas? Muitas pessoas vão dizer todo tipo de coisas, misturar menos óleo (SIC: já vi gente que usa 250ml para 5L sem problemas), mudar a temperatura da vela. Ambas são incorretas para consertar vela babada. É tudo carburação. Um motor que está carburado rico demais vai ter temperaturas de combustão que são muito baixas para queimar o combustível ou o óleo completamente, levando a depósitos e vela úmida.
Há alguns casos em que outro problema mecânico possa causar isso, como um retentor do lado úmido da caixa de óleo vazando. Mas, por maioria, isso não é o caso. Na maioria dos casos, baba é causada por carburador rico. Não tem nada a ver com quanto óleo você usa na gasolina, ou quão duramente você pilota sua moto. Um motor carburado rico demais vai ter temperaturas baixas demais para queimar o combustível e o óleo.

A única maneira de saber quais mudanças fazer na carburação, é por tentativa e erro. Carburação é um tanto simples, e útil aprender se você pilota uma 2T ou 4T e quer ela dando seu máximo.

É importante começar pelo gigle de baixa, pois ele afeta toda a aceleração. Quando você está em aceleração total, o giclê de alta é o alimentador primário, mas o de baixa continua entregando combustível, contando para a soma total.

Antes de começar a arrumar seu carburador, você precisa de filtro limpo, vela nova, e gasolina nova. (várias velas para vários testes de corta-motor a seguir)

Um detalhe importante. Tenha certeza de que o motor está em boas condições. Tentar carburar um motor velho é perda de tempo. O mesmo vale para palhetas que não selam propriamente, e um silencioso velho, Palhetas velhas vão imitar um carburador rico e anéis velhos vão imitar carburador pobre.

Antes de iniciar o teste, instale uma vela nova. Configure a altura da bóia corretamente conforme manual, pois afeta toda faixa de aceleração.

Todo teste de carburação deve ser feito com o motor em temperatura de trabalho!

Como já falado, comece pelo giclê de baixa. Vire o parafuso do ar todo para dentro, e então abra 1,5 voltas para iniciar. Ligue o motor, e vire o parafuso da lenta do pistonete, até atingir uma “lenta” rápida, ou segure o acelerador um pouquinho aberto, para manter o motor funcionando. Gire o parafuso do ar para dentro, e para fora, até encontrar o ponto em que a lenta é mais rápida. Pare aí. Não abra mais, ou sua resposta de aceleração vai ser mole, ou a moto pode até exitar. Este é o ponto de começo, ainda tem que regular novamente o parafuso do ar para melhor resposta.

Agora é hora de determinar se você tem o giclê de baixa correto instalado. A posição do parafuso do ar determina isso para você, tornando isso muito simples. Se o parafuso do ar está menos que uma volta aberto, você precisa um giclê de baixa maior. Se o parafuso está mais de 2,5 voltas aberto, você precisa um giclê de baixa menor. Se o seu motor não responde a variações de parafuso do ar, então você ou está com o carburador sujo, ou o giclê de alta esta muito rico. Quando o giclê de alta está muito rico, você é forçado a usar o parafuso do pistonete para manter o motor funcionando, e assim o circuito de baixa é ignorado, e o motor está de fato puxando gasolina pelo giclê de alta.

Uma vez determinado (e trocado se necessário) o giclê de baixa, e regulado o parafuso do ar para uma lenta rápida, é hora de regular novamente o parafuso do ar para uma melhor resposta. Novamente, tenha certeza de que a moto está em temperatura de trabalho. Regule a lenta para baixo novamente, de modo que a moto ainda fique funcionando (ao contrario do que dizem as revistas de moto “especial não tem lenta”), e pilote a moto usando 0 a ¼ de aceleração. Gire o parafuso do ar levemente nas duas direções até encontrar o ponto que dá a melhor resposta quando abrir a aceleração. A maioria das motos são sensíveis a mudanças de até 1/8 de giro no parafuso do ar.

Agora é hora de regular a agulha. Marque o punho do acelerador nas medidas de abertura 0, 0.25 , 0.5 , 0.75 e 1 (1=todo aberto). Pilote a moto na faixa de aceleração de 0.25 até 0.75 de abertura de acelerador. Se a moto afoga/exita por um segundo antes de responder ao acelerador, abaixe a trava da agulha, subindo a agulha, uma cavidade por vez, até o motor responder suavemente. Se a moto responde ríspida ou respinga o giro, suba a trava da agulha, abaixando a agulha, até soar límpido o giro. Não há métodos de testar a agulha a não ser sentindo, mas é basicamente óbvio quando está errado. Uma agulha muito rica pode ser sentida quando tracionando a moto na areia. Ela vai soar desconfortavel e arranhando quando acelerar na areia. Uma moto corretamente carburada deve rotacionar limpa homogênea.

O último é o giclê de alta. Ele afeta de ½ a acelerador total. O modo mais fácil de testar é fazer o teste de corte de motor. Com a moto quente, encontre uma reta longa com uma leve subida, bem leve, e instale uma vela. Ligue o motor e faça uma corrida, subindo, a acelerador total, pela reta trocando todas as marchas. Deste moto estarás usando o gicle de alta e vendo se ele está certo. Assim que a moto subir o giro o suficiente na ultima marcha, puxe a embreagem, mate o motor, e encoste. Remova a vela, olhe dentro da rosca [foto], na base do isolador. Se o isolador está branco ou cinza, o giclê de alta está pobre. Se está marrom escuro ou preto, o giclê de alta está rico. A cor correta é marrom médio ou ‘bronzeado’.

Por favor note que, quando ler velas, a ponta das roscas, e do isolador são insignificantes para fins de regulagem. Eles podem dizer muitas coisas, menos giclagem. So a base do isolante por dentro da rosca podem dizer isso pela cor.

Estes links podem ajudar a ler velas

http://i55.photobucket.com/albums/g154/ ... rkplug.gif

http://www.lidermotos.com.br/forum/viewtopic.php?t=308

O pistonete também é uma variável para giclagem, afetando aceleração de 1/8 a aproximadamente 1/3. Se você não consegue arrumar a lenta do seu motor mexendo na agulha e no giclê de baixa e na agulha, o problema deve ser no pistonete. O corte em ângulo que ele tem na base, tem muita influência na admissao de ar nessas rotações.


Pessoal: vamos parar de sair da oficina com o carburador calibrado... Eu fiz isso por anos, e não faço mais. Botem a mão na massa dentro da pista! imprimam o roteiro que eu postei no começo do post que dá certo, eu regulei minha rd de veloterra assim.
É inadmissivel sair da oficina com o carburador regulado, após uma profunda fuçada no motor. Depois é que você tem que regulá-lo em operação...

Deu um trabalhão traduzir hehe
Bom uso!
Editado pela última vez por Elton em 05 Maio 2007 à20 23:10, em um total de 2 vezes.
Avatar do usuário
Elton
Tô de olho
Tô de olho
 
Mensagens: 7965
Registrado em: 23 Fevereiro 2007 à48 18:32
Localização: Blumenau - SC

Mensagempor AuaTT » 05 Maio 2007 à52 21:12


arrebentando nas dicas em elton!
CRF250X 09'
Avatar do usuário
AuaTT
Puxando a fila
Puxando a fila
 
Mensagens: 2641
Registrado em: 18 Novembro 2005 à24 17:54
Localização: Campos dos Goytacazes - RJ

Mensagempor Valentin » 05 Maio 2007 à39 21:39


Uma aula de carburação! :D
Sua mãe te cria com tanto amor e carinho, vc cresce e corta o cabelo igual ao Neymar. #fimdomundo
Avatar do usuário
Valentin
Já sou piloto
Já sou piloto
 
Mensagens: 2430
Registrado em: 15 Janeiro 2006 à35 21:25
Localização: Petrópolis, Rio de Janeiro, Brazil

Mensagempor Elton » 05 Maio 2007 à20 23:14


AuaTT, rs nao sei se tudo q eu falo ta certo mas eu tento falar tudo que eu sei... segredo de mecanico ja era né.. por esse texto da pra ver que nos eua ninguem fica fazendo esconde esconde com manha.. se eu soubesse mais falava mais!
Imagem
Avatar do usuário
Elton
Tô de olho
Tô de olho
 
Mensagens: 7965
Registrado em: 23 Fevereiro 2007 à48 18:32
Localização: Blumenau - SC

Mensagempor Andatrilho » 05 Maio 2007 à47 23:23


proelton, Voce que é fera ....
Dt 180 e XR 200 para trilha
XR 250 Tornado 2008-> SM
Avatar do usuário
Andatrilho
Tentando a categoria "A"
Tentando a categoria "A"
 
Mensagens: 86
Registrado em: 02 Fevereiro 2007 à27 00:37
Localização: Rio Claro-SP

Mensagempor NESTOR/RS » 06 Maio 2007 à44 02:07


Excelente!!! =D> =D>
Tchê! Pretiou ozóio da gatiada!!!
Avatar do usuário
NESTOR/RS
Tô de olho
Tô de olho
 
Mensagens: 10205
Registrado em: 19 Agosto 2005 à40 00:07
Localização: São Vicente do Sul/RS

Mensagempor Valentin » 06 Maio 2007 à26 11:28


Desmontei o "bura" da DT hj... gigle de alta 170 e baixa 25.... devo trocar alguma coisa??
Sua mãe te cria com tanto amor e carinho, vc cresce e corta o cabelo igual ao Neymar. #fimdomundo
Avatar do usuário
Valentin
Já sou piloto
Já sou piloto
 
Mensagens: 2430
Registrado em: 15 Janeiro 2006 à35 21:25
Localização: Petrópolis, Rio de Janeiro, Brazil

Mensagempor Fabrício » 06 Maio 2007 à25 20:35


Detonando, hein, Proelton... =D>
Imagem

"O homem que se vende, sempre recebe mais do que vale" Barão de Itararé.
Avatar do usuário
Fabrício
Derrubo qualquer morro
Derrubo qualquer morro
 
Mensagens: 9394
Registrado em: 24 Março 2004 à57 23:47
Localização: Brasília-DF

Mensagempor spode » 07 Maio 2007 à54 10:08


ops, calma lá!

se vc por muito óleo, vc vai estar substituindo parte da gasolina por óleo. Pode dar falta! falta=superaquecimento=motor travado!

tem gente que faz o "fine tune" da mistura com o oleo!

vela e escapamento pingando oleo é mistura rica, sempre.

excesso de fumaça pode ser o retentor do virabrequim, que falha muito mais do que se imagina! Tive o problema do retentor na minha RM e tome queimar vela até eu trocar...

Logo quando comprei a RM, ela queimava vela direto, até eu acertar a carburação, que ainda era original de fábrica! Agora imagine, comprei a moto em 99, ela é uma 94 e ainda tava 100% original! Tudo errado!!! Pq aqui em PE a condição de umidade do ar e temperatura e altitude diverge do que tem lá no japão onde a moto foi fabricada!

Ninguem pode te dizer "use gicle de alta X e de baixa Y", exceto se o cara tiver a mesma moto, do mesmo ano, com o mesmo desgaste, com as mesmas modificações de motor e morando exatamente no mesmo lugar e andando exatamente nas mesmas trilhas! E olha que mesmo assim é arriscado "ir pela cabeça dos outros", vc tem que saber acertar sua moto, é o dever do piloto entender falta/excesso, o mecanico nada tem a ver com isso, pq quem anda é o piloto, nao o mecanico!!!

A quantidade da mistura depende de vários fatores, vc nao pode seguir cegamente o que um gringo diz, pq lá a gasolina nao tem 25% de alcool como aqui! Tb muda altitude, temperatura e umidade do ar, sem falar nas trilhas e pistas! Eu tb já caí nessa besteira e digo que é roubada seguir cegamente uma recomendação!

Costumo usar 40:1 ou até 50:1 de shell VSX 100% sintetico...

-- spode
spode
Tentando a categoria "A"
Tentando a categoria "A"
 
Mensagens: 683
Registrado em: 12 Julho 2006 à56 13:51
Localização: Pernambuco

Mensagempor whoshiley » 07 Maio 2007 à04 11:29


Putzzz... Ooooooooootima dica
DT-180 >> DT-200 >> CR250 >> KXF 250 >> SEM MOTO >> DT-200
whoshiley
Tentando a categoria "A"
Tentando a categoria "A"
 
Mensagens: 628
Registrado em: 24 Novembro 2004 à37 14:57
Localização: Belo Horizonte - MG

Mensagempor Gustavo.M » 07 Maio 2007 à31 13:59


Nusssss!Show de bola!!!

=D> =D> =D> =D>
XR 250 Tornada 2007 Prepaaaraaaaaaaaaaaada!

DT-180 1986
Fotos: http://lidermotos.com.br/forum/viewtopic.php?t=12052
Avatar do usuário
Gustavo.M
Tentando a categoria "A"
Tentando a categoria "A"
 
Mensagens: 670
Registrado em: 06 Fevereiro 2007 à24 07:05
Localização: Campo Largo-PR

Mensagempor dicars » 07 Maio 2007 à34 14:55


Uma aula e tanto. eu uso 25ml /l ( ou 40:1) e me parece bom.
Avatar do usuário
dicars
Tentando a categoria "A"
Tentando a categoria "A"
 
Mensagens: 250
Registrado em: 13 Novembro 2006 à26 21:12
Localização: Rio Grande do Sul

Mensagempor Elton » 07 Maio 2007 à06 21:26


spode, por isso que eu disse no começo, tem que interpretar, q que o que ele indica numa parte do texto é absurdo! Tipo.. ninguem vai tirar o cilindro pra ver quanto óleo tem no fundo rs

mas no geral explica legal né

Mas é isso aí óleo demais também não ajuda! :D
Avatar do usuário
Elton
Tô de olho
Tô de olho
 
Mensagens: 7965
Registrado em: 23 Fevereiro 2007 à48 18:32
Localização: Blumenau - SC

Mensagempor spode » 08 Maio 2007 à15 08:00


excelente informação, com certeza...

agora... ver o óleo no fundo do cilindro... honestamente, nunca ouvi falar nisso hehehehe

em www.dansmc.com tem um link sobre oleo dois tempos, leitura interessante...

-- spode
spode
Tentando a categoria "A"
Tentando a categoria "A"
 
Mensagens: 683
Registrado em: 12 Julho 2006 à56 13:51
Localização: Pernambuco

Mensagempor PedroMC » 08 Maio 2007 à56 11:34


POW VC ESTA DE PARABENS... nunk tinha visto explicação tão legal, e como vc disse a interpretação e a parte fundamental para cada um...
VLW PELA AULA...
Sonhando com a Importada.....
Avatar do usuário
PedroMC
Tentando a categoria "A"
Tentando a categoria "A"
 
Mensagens: 152
Registrado em: 26 Janeiro 2007 à06 14:55
Localização: vassouras_RJ

Mensagempor zambapower » 10 Maio 2007 à40 17:20


Meu agora isso complicou minha cabeça total , pois uso motul 800 a 1% na minha Rm , devo estar fodendo com o motor todinho entao !
Rafael Carli de Azambuja "Zamba"
Blumenau Sc
Em licensa do Motocross ate final de 2011
Xr 250 2002 Street
msn : rafael.c.azambuja@hotmail.com
Avatar do usuário
zambapower
Tentando a categoria "A"
Tentando a categoria "A"
 
Mensagens: 852
Registrado em: 21 Fevereiro 2006 à13 18:55
Localização: Blumenau SC

Mensagempor EvandroMM » 16 Maio 2007 à58 16:29


zambapower escreveu:Meu agora isso complicou minha cabeça total , pois uso motul 800 a 1% na minha Rm , devo estar fodendo com o motor todinho entao !
Não necessariamente, apenas, sua RM não esta funcionando com todo seu potencial. Eu sempre achei que a medida do oleo deveria ser relativa a tocada do piloto e isso a um bom tempo, muitos discordam, mas apos ler este texto vi estava correto. Claro que o motor tem um minimo de oleo pra funcionar adequadamente, mas a partir dai a quantidade aumenta de acordo com o regime de rotação a que o motor será submetido. Nas 125 principalmente, onde a se anda com o cabo enrolado o tempo todo (o que mais dificil nas 250) o motor trabalha quase sempre acima de 9, 10 mil RPM.
EvandroMM
Já sou piloto
Já sou piloto
 
Mensagens: 1541
Registrado em: 12 Dezembro 2005 à49 16:42
Localização: SP

Mensagempor vivanzin » 16 Maio 2007 à12 17:03


Muito bom heim!!! =D>

Valeu Proelton!!
vivanzin - CRF250R
www.flickr.com/vivanzin
Avatar do usuário
vivanzin
Já sou piloto
Já sou piloto
 
Mensagens: 1818
Registrado em: 16 Setembro 2004 à09 22:20
Localização: São Paulo - SP

Mensagempor pedrohrios » 08 Junho 2007 à42 16:50


galera,o padrao +- de vcs pra colocar oleo 2 e o 12 ml por litro?
as informacoes devem estar bem boas pelos elogios,mas eu tenho 2 problemas,nao intendo mto de gigles,esses parafusos q vao no carburador,mas tenho vontade de aprender ,mas qdo vejo esses textos grandes,falando cadas coisas ond eu so intendooq e gasolina e oleo me da u desanimo!!! ](*,) #-o
BRAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAP!
Avatar do usuário
pedrohrios
Já sou piloto
Já sou piloto
 
Mensagens: 1235
Registrado em: 03 Janeiro 2007 à57 16:15
Localização: BH

Mensagempor dlps » 16 Agosto 2007 à26 14:43


Otimas dicas, uma boa leitura para leigos........

Sds Daniel
RMX 250 98... NaveEspaçonave...
http://fotolog.terra.com.br/dlpsdaniel
Avatar do usuário
dlps
Tentando a categoria "A"
Tentando a categoria "A"
 
Mensagens: 105
Registrado em: 29 Agosto 2005 à49 16:30
Localização: Canoas/RS

Próximo

Voltar para Preparação e Questões Técnicas de Motos Off-Road

Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 8 visitantes