Guia completo regulagem suspensão de Motocross

Espaço destinado a preparação de motores, suspensões, freios, e etc...ou questões técnicas que envolvam conhecimento de mecânica, engenharia de motores, composição de combustíveis, etc....também devem ser postados aqui.

Guia completo regulagem suspensão de Motocross

Mensagempor Kaneko#129 » 28 Julho 2009 à28 09:58


Regulagem dos cliques das suspensões

Pequenas alterações fazem grande diferença
Por Valmir Polaco e Equipe MotoX - Fotos: Polaco Preparações

Imagem
Os ajustes de compressão e retorno da suspensão dianteira são realizados com uma chave de fenda abrindo ou fechando os cliques nos locais correspondentes

Nesta edição da coluna continuaremos abordando o ajuste de suspensão, especificamente regulagem dos cliques (parafusos localizados na parte superior e inferior do amortecedor e bengala). Como comentado na primeira matéria sobre este tema, muitos proprietários adquirem uma motocicleta especial, mas acabam sendo mal orientados ou até mesmo acabam não entendendo os manuais de suas motos. Hoje o que mais se vê no mercado brasileiro são pilotos que adquirem uma motocicleta especial, mal dão uma volta na pista e antes mesmo fazer uma regulagem de SAG ou dos cliques da suspensão querem prepará-las.

Esse ano me deparei com diversos casos desse tipo. Um deles foi de um piloto com vários títulos de motocross brasileiro, mais de 20 anos de experiência e que após adquirir uma motocicleta 250 quatro tempos zero quilômetro, não deu nem uma volta na pista, mas já me ligou querendo preparar a suspensão se queixando e dizendo que elas são muito duras. Um verdadeiro absurdo! A motocicleta já esta na 4ª geração das suspensões showa de câmara dupla, no entanto sem ao menos experimentá-las o piloto acreditou que a própria não atendia suas necessidades.
Imagem
Regulagens


No amortecedor traseiro o ajuste do retorno é realizado neste parafuso, localizado entre as peças do link

Bom, vamos ao que interessa, como deve ser realizado o procedimento de ajuste das suspensões. O primeiro passo é executar a regulagem de SAG, como explicado na primeira matéria de regulagem das suspensões. Para saber qual parafuso é a compressão e qual é o retorno você deve olhar na própria tampa. Onde estiver escrito “comp” é a regulagem de compressão, se estiver marcado “rebound” o mesmo é o local de regulagem do retorno. Existem também as indicações H (de hard - duro) e S (de soft - macio) com setas indicativas para endurecer ou amolecer as suspensões.

Na suspensão dianteira existem dois parafusos na parte superior: o posicionado no centro da tampa é o parafuso de regulagem, o outro é para retirada de ar. Na parte inferior da bengala o funcionamento é o mesmo, porém só vai existir um parafuso nela. Lembre-se fechando (sentido horário) ela fica mais dura, abrindo ela fica mais mole.

Provavelmente a regulagem terá por volta de 25 cliques, podendo chegar em alguns casos até 35. Partindo do ponto zero fechado, abra a regulagem até a metade (por exemplo, se existem 20 cliques abra até o 10º) encontrando a posição standard, de onde deve-se partir para o seu ajuste pessoal. Na minha opinião quando o piloto sente necessidade de abrir mais do que 15 cliques, o momento é de se partir para uma revalvulação (mudança na genética das laminas) ou até mesmo uma mudança de fluido. Lembre sempre que existem motocicletas que os parafusos são invertidos: nestas motos o “comp” fica na parte de baixo e “rebound” na parte superior (tome muito cuidado para não confundir as regulagens). Na suspensão traseira o procedimento deve ser o mesmo adotado na dianteira.
Imagem

Onde estiver escrito “comp” é a regulagem de compressão, se estiver marcado “rebound” o mesmo é o local de regulagem do retorno

A evolução e desenvolvimento são buscas constantes dos engenheiros e as atuais suspensões das motocicletas de competição são exemplo disto. Nos amortecedores traseiros elas contam com uma 2ª regulagem na compressão, um parafuso com cabeça de até 17 mm que fica em volta do clique. Muitos proprietários imaginam que ele serve para segurar o clique de compressão, mas não sabem que na verdade é outra regulagem que faz mais diferença do que o próprio clique interno. Ele serve para regular a alta velocidade da compressão, trabalhando independente do clique que faz o papel da baixa velocidade de compressão. A regulagem deste parafuso tem no máximo duas voltas e ¼.

Só se consegue notar a diferença de funcionamento após alterações nesta regulagem andando na motocicleta. Alguns pilotos e proprietários têm a visão de que elas não fazem diferença nenhuma, mas estão completamente enganados quaisquer regulagens de clique chegam a ter um resultado de 15 a 20 % de ação no hidráulico. No entanto sei também que falta sensibilidade para a grande maioria dos pilotos e muitos não conseguem notar as alterações. O clique inferior do amortecedor traseiro serve para controlar o retorno do hidráulico, e muitos pilotos só mexem ali porque é o clique onde mais se nota a reação da regulagem.

Importante: quando você for fazer uma regulagem do clique é recomendável anotar a regulagem que está sendo utilizada, assim se você notar que a nova regulagem não funcionou você volta para o padrão anterior contando os cliques até retornar a posição. Lembre-se sempre também que para fazer uma regulagem perfeita deve-se tirar o ar das suspensões e o SAG deve estar dentro dos padrões da modalidade.

Imagem
No amortecedor traseiro, junto a garrafa de nitrogênio, existem duas regulagens

Iniciando as regulagens deve-se andar na moto e perceber a ação dos hidráulicos. Esqueça aquele negócio de ficar freando e comprimindo as suspensões com a moto parada, tentando notar seu funcionamento com as próprias mãos. Vá até uma pista, de preferência a que você já é acostumado a andar e que conhece bem as dificuldades do traçado. Faça um aquecimento de 5 à 8 minutos andando com a moto e procure perceber as reações da motocicleta e o funcionamento das suspensões. Nunca aqueça mais do que 20 minutos no momento de fazer estes ajustes. Nesta hora o desgaste físico já é considerável, a não ser que seu condicionamento esteja 100 %. Conheço pilotos que avaliam o equipamento na hora que estão finalizando o treino e nessa hora sobram queixas de que nada está funcionando de acordo (mas a língua do piloto está de fora).

As suspensões dianteira ou traseira são divididas em duas velocidades de hidráulico tanto na compressão quanto no retorno (baixa e alta). Os cliques só alterarão o funcionamento da baixa. Por isso se sua suspensão estiver batendo no fundo da caixa na recepção dos saltos e você fechar todos os cliques não vai adiantar muita coisa. Aqui vão umas dicas para se fazer uma regulagem. Lembre-se que você é a pessoa mais certa para notar esses problemas que estão ocorrendo com sua motocicleta.

Suspensão traseira

Exemplo de ação no retorno. Começando pela suspensão traseira o que mais vejo são pilotos que fecham demais os cliques de retorno, com a intenção de deixá-lo bem lento. Se você fechar muito o retorno do amortecedor, a moto para de copiar tudo que encontra pela frente, principalmente buracos em saída de curva onde neste caso ela estará se fechando cada vez mais e não haverá tempo suficiente para que ela abra novamente para copiar o próximo obstáculo. Procure fazer uma regulagem bem progressiva com a baixa velocidade um pouco mais mole e a alta velocidade mais dura. Neste caso a tendência é soltar um pouco o parafuso do retorno, a reação dessa regulagem será que você vai notar ela mais mole nos buracos e pouco se afetará nos grandes saltos.

Imagem
A regulagem interna regula a velocidade baixa da compressão enquanto a externa regula a alta velocidade


Agora um exemplo de ação na compressão. Nesse caso o mais comum são pilotos que fecham quase todos os cliques desta regulagem por causa da suspensão batendo no fundo na recepção dos saltos maiores. Resumindo, ela melhora nos saltos e piora no restante do traçado aonde poderia se ganhar mais tempo. Nesse caso vale a pena você priorizar as maiores dificuldades da pista. Vale a pena deixar a baixa velocidade mais mole, soltando na traseira o parafuso do meio da compressão e fechando o parafuso de fora pra endurecer a alta velocidade. Isso dará progressividade ao hidráulico deixando ela mais mole nos buracos de saída de curva e mais rígida em buracos mais forte de frenagem ou até mesmo caída de saltos.

Suspensão dianteira

Começando pelo retorno, muitos pilotos costumam fechar demais os cliques por achar que estão “perdendo a frente” (escorregando) nas curvas ou até mesmo quicando, esse é o ponto! Para resolver o problema regule o retorno da suspensão dianteira partindo do mesmo princípio aplicado a traseira. Se fechar os cliques em demasia o piloto sentirá rapidamente problemas: em uma frenagem com traçado todo esburacado a dianteira vai comprimindo, comprimindo até atingir uma pressão grande de hidráulico e molas. Chegando no próximo buraco não há tempo suficiente para a suspensão retornar e copiar a imperfeição do solo. Tudo isso vem direto pros braços do piloto e ele acaba sentindo toda a imperfeição do solo. Por isso procure deixar um retorno mais suave para esse tipo de obstáculo, normalmente você encontrará este ajuste soltando um pouco os cliques de retorno.

Imagem
Alguns amortecedores traseiros possuem um sistema de regulagem do retorno onde se faz o ajuste com a mão

Falando da compressão muitos acabam fechando praticamente todos esses cliques por causa do tire up (enforca gato) encostando ao fundo da bengala, demonstrando que a suspensão atingiu final de curso. Caso isto ocorra uma ou outra vez e não todo tempo não há problema, do contrário sim. Gente lembre-se que a maioria das suspensões dianteiras de moto importada tem 300 mm de curso, então a faça trabalhar 100% do seu curso. Caso você feche em excesso a compressão sua suspensão trabalhará sem absorver tudo e o que faltar será refletido diretamente para seus braços.

Pequenas alterações fazem muita diferença. Por exemplo, você pode aumentar 20 ou 30ml de óleo nas bengalas se ela estiver batendo no fundo e isto fará uma grande diferença (claro sempre respeite o limite máximo de quantidade descrito no manual). Deixando os cliques de compressão um pouco mais moles você conseguirá que sua moto copie mais o terreno nas frenagens nas entradas de curvas.

Lembre-se que três forças atuam em uma suspensão: mola, atrito e hidráulico. Portanto para solucionar um problema, devemos saber qual das forças é a causa. Reafirmo: o resultado final da regulagem de uma suspensão é diretamente proporcional a sua capacidade de entender seu funcionamento.
_______________________________
CRF 400
Avatar do usuário
Kaneko#129
Tentando a categoria "A"
Tentando a categoria "A"
 
Mensagens: 409
Registrado em: 08 Junho 2006 à31 17:21
Localização: londrina pr

Re: Guia completo regulagem suspensão de Motocross

Mensagempor Elton » 28 Julho 2009 à00 10:04


taaaaaaaaaaa naaaaaaaaaaaaaa reeeeeeeeeeeddddddeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee
kk movido e cortado e postado

valeu aí kanekoo
Imagem
Avatar do usuário
Elton
Tô de olho
Tô de olho
 
Mensagens: 7987
Registrado em: 23 Fevereiro 2007 à48 18:32
Localização: Blumenau - SC

Re: Guia completo regulagem suspensão de Motocross

Mensagempor Kaneko#129 » 28 Julho 2009 à43 23:02


Aew Elton esse guia ajuda muito... eu penso assim tem muita gente que pensa que é piloto e mal pega uma moto (importada) e ja pensa em preparar a suspensão fala q naum tao legal da final de curso (com a regulagem correta tem situações que vai dar final de curso), para ser um piloto completo o cara deve conhecer todos os recursos de regulagem da moto (tem gente só sabe andar) para andar mais rapido. fazendo uma regulagem correta da suspensão pode ser diminuir o tempo da pista. o certo eh em cada tipo de pista possui uma regulagem para isso q existe o treino antes da corrida! muitos "pilotos" gastam uma nota na preparação da suspensão, mais não sabem usar o recursos q elas possuem jogar $$$ fora
ja pilotos mais pesados ou muito leves podem precisar de uma prepração por causa da regulagem do sag as molas foram feitas para um piloto de peso medio entre 65 70 75 kilos.
_______________________________
CRF 400
Avatar do usuário
Kaneko#129
Tentando a categoria "A"
Tentando a categoria "A"
 
Mensagens: 409
Registrado em: 08 Junho 2006 à31 17:21
Localização: londrina pr

Re: Guia completo regulagem suspensão de Motocross

Mensagempor Fabrício » 29 Julho 2009 à14 11:43


Muito top essa dicas Kaneko....vai para os melhor tópico do fórum.... palmas::
Imagem

"O homem que se vende, sempre recebe mais do que vale" Barão de Itararé.
Avatar do usuário
Fabrício
Derrubo qualquer morro
Derrubo qualquer morro
 
Mensagens: 9394
Registrado em: 24 Março 2004 à57 23:47
Localização: Brasília-DF

Re: Guia completo regulagem suspensão de Motocross

Mensagempor GustavoT » 18 Janeiro 2010 à24 05:26


Onde fica a primeira materia que explica sobre a regulagem do SAG ?
Yamaha - DT 180 (1987) > Kawasaki - KX 125 (2000) > Suzuki - RMZ 450 (2005) > Honda - CRF 250r (2007) > Kawasaki - KXF 250 (2008) > Kawasaki - KXF 250 (2012) > Kawasaki - KXF 250 (2013)
Avatar do usuário
GustavoT
Já sou piloto
Já sou piloto
 
Mensagens: 1174
Registrado em: 09 Setembro 2009 à17 18:38
Localização: Belo Horizonte / MG

Re: Guia completo regulagem suspensão de Motocross

Mensagempor mgarcia » 18 Janeiro 2010 à47 14:28


Cara, muito interessante o topico, só tenho uma dúvida quanto as cliks, eu ouvi dizer que cada click represente um peso , ou seja com regulagem minima é para um determinado peso de piloto,e para o terreno.; bom minha duvida é a seguinte tem alguma tabela para a DRZ 400 e, e como eu faço pra saber como deve ficar para cross coutry e para veloterra(que não tem salto)?
Minha Familia!!, Minha Vida!!! Nova fase da vida, pé no chão e dinhero no Bolso, trabalho, trabalho, trabalho!!!!!
Avatar do usuário
mgarcia
Já sou piloto
Já sou piloto
 
Mensagens: 1234
Registrado em: 12 Janeiro 2010 à55 10:22
Localização: bage-RS/Baln.Camboriu-SC

Re: Guia completo regulagem suspensão de Motocross

Mensagempor Elton » 19 Janeiro 2010 à06 23:04


mgarcia, a regulagem para o seu peso é o óleo e o tipo de mola.

Os clicks são o ajuste fino para o seu óleo e a sua mola. Claro pros amadores que não mexem na mola como nós, os clicks já são o ajuste necessário pra mudança de peso.
Se o cara for muito pesado, os clicks até ajudam a moto a não bater no fundo, mas o certo é trocar a mola e colocar mais óleo, daí ela fica mais firme. Depois regula os clicks pra dar mais sensibilidade com o solo. Mais ou menos isso...

Sobre qual a regulagem pra cada tipo de terreno o piloto tem que ir mudando os clicks e aos poucos vai saber de cabeça o que fazer quando vai no motocross, o que fazer no veloterra e o que fazer na trilha. tipo no motocross ela nao pode bater no fundo, no veloterra ela tem que responder rapido mesmo sendo mais macia, e na trilha é mole mesmo, mas não é um mole muito mole, é um mole que é mais suave que o motocross e tal, já que a suspensão nao vai levar a porrada do salto.

É bem difícil ter a sensibilidade dos clicks, eu particularmente odeio mexer. A maioria das pessoas deixa simplesmente no meio da regulagem.
Imagem
Avatar do usuário
Elton
Tô de olho
Tô de olho
 
Mensagens: 7987
Registrado em: 23 Fevereiro 2007 à48 18:32
Localização: Blumenau - SC

Re: Guia completo regulagem suspensão de Motocross

Mensagempor mgarcia » 20 Janeiro 2010 à11 18:51


valeu pelas informações, vou deixar no meio ese achar que ta maio mole eu mudo um pouco, abração
Minha Familia!!, Minha Vida!!! Nova fase da vida, pé no chão e dinhero no Bolso, trabalho, trabalho, trabalho!!!!!
Avatar do usuário
mgarcia
Já sou piloto
Já sou piloto
 
Mensagens: 1234
Registrado em: 12 Janeiro 2010 à55 10:22
Localização: bage-RS/Baln.Camboriu-SC

Re: Guia completo regulagem suspensão de Motocross

Mensagempor caco » 26 Março 2010 à33 15:29


continuando:

http://www.motox.com.br/publix/?id=2458

Regulagem das molas das suspensões

Veja o passo a passo para um ajuste correto
Por Valmir Polaco e Equipe MotoX - Fotos: Ronaldo Ribeiro


O ajuste do SAG é o primeiro passo para uma regulagem correta da suspensão

Muitos pilotos quando adquirem uma moto nova ou usada, nacional ou importada, para lazer ou participar de competições no motocross ou enduro, não tem idéia de como deve ser o ajuste das suspensões desta motocicleta.


Foto 1 - Pré-carga é aquela aplicada na mola antes da instalação na motocicleta (sem peso)
Nem sempre este usuário é questionado pelo vendedor sobre seu peso, estatura e qual modalidade irá praticar. No meu ponto de vista esta pergunta deveria ser obrigatória, para que fosse feita uma regulagem nas suspensões de acordo com a utilização a que a motocicleta será submetida.

O que mais impressiona é saber que 40% dos pilotos não imagina que as suspensões necessitam dessas informações básicas para trabalhar corretamente e atingir uma ótima performance. Já presenciei casos como de um cliente que comprou uma Honda Tornado um modelo trail, portanto para uso misto, colocou os acessórios de pista e foi praticar motocross dizendo que a motocicleta estava se comportando 100% nos saltos e buracos.

Ou mesmo outro que há dois anos e meio andava com uma moto importada de 450cc nas trilhas e provas de enduro. Neste caso o problema é que ele tinha 110kg (portanto mais de 20kg a mais do que o peso para o qual o projeto de fábrica é indicado), mas para ele a moto era perfeita. Na verdade o ajuste desta suspensão poderia melhor muito o aproveitamento deste usuário, mas o vendedor jamais perguntou qual seria a utilização da moto (trilha ou motocross) e o peso do piloto, e sem orientação ela não passou por nenhum ajuste.

Outro caso mais delicado foi de um piloto que afrouxou toda a porca (pré-carga) que sustenta a mola traseira do amortecedor, para poder alcançar os pés no chão... neste caso a melhor opção sempre será alterar a altura da espuma do banco, mas jamais ter este procedimento que foi adotado, pois ele impede uma regulagem correta da suspensão.


Foto 2 - O piloto deve medir o SAG de sua moto com frequência
Exemplos como este mostram o quanto os praticantes do off-road são carentes em informações e técnicas para o ajuste das suspensões. Nesta matéria
passamos as técnicas que devem ser adotadas na regulagem das molas da suspensão, o famoso SAG (Suspension Adjustments Gap), primeiro ajuste para um perfeito funcionamento das suspensões.

Conhecendo o procedimento procure um mecânico ou preparador de confiança e peça para ele fazer a regulagem do SAG na sua motocicleta. Independente da modalidade que será praticada ajustar o equipamento é fundamental para sua segurança e trará maior eficiência para o seu equipamento.

Lembre-se que este é só o primeiro passo para você colocar uma motocicleta nas pistas ou trilhas com uma performance adequada ao seu perfil. Se for constatado que o SAG está incorreto você terá uma suspensão trabalhando errada, portanto não deixe de fazer o ajuste.

A regulagem das suspensões é extremamente complexa e, depois desse passo inical, você ainda terá 8 passos a percorer em uma suspensão até entrar nas preparações especializadas envolvendo válvulas, fluídos, genéticas, hidraúlicos etc. O resultado final de seu trabalho no ajuste de uma suspensão é diretamente proporcional a sua capacidade de entender seu funcionamento.


Foto 3 - O SAG livre mostra se a mola é a ideal para a utilização pretendida
Classificamos o ajuste do SAG em três fatores:

Pré-carga: A carga aplicada na mola com o amortecedor antes de instalado na moto, ou seja sem nenhum peso em cima dele (foto 1).

SAG: O deslocamento verificado quando é colocado o peso do piloto (equipado) sobre a motocicleta (foto 2).

SAG Livre: O deslocamento que uma suspensão apresenta quando é submetida ao próprio peso da motocicleta, sem o piloto (foto 3).

Para regulagem do SAG (ajuste das molas das suspensões) devemos seguir os seguintes passos:

1 - Começamos pela suspensão traseira, que permite um ajuste simples e fácil da pressão da mola através da rosca localizada no alto do amortecedor. Com a moto em cima do cavalete, defina 2 pontos fixos para fazer a medição de uma linha imaginária, o mais vertical possível (por exemplo o eixo da roda e paralama ou o bico da ponteira de escapamento). É importante marcar (com uma caneta ou fita adesiva) o ponto exato onde será realizada a medição (foto 4).

2 - Ainda com a moto em cima do cavalete, meça a distância entre os 2 pontos fixos e anote (Distância 1).

3 - Retire a moto do cavalete. Em seguida o piloto deve subir na motocicleta com o equipamento de proteção completo (para atingir o mesmo peso do momento da pilotagem) ficando em pé sobre as pedaleiras. Faça o movimento de compressão, exercendo peso sobre a suspensão deixando ela retornar em seguida, repetindo por 3 vezes o procedimento. Meça novamente a distância entre os dois pontos fixos e anote (Distância 2). Importante: não se deve sentar nem apoiar no guidão durante a medição, o peso do piloto deve estar distribuido sobre as pedaleiras.

4 - Pegue o número encontrado na medição inicial (Distância 1) subtraia a Distância 2 e encontre o SAG exato (veja abaixo os números de SAG recomendados pelo preparador Valmir Polaco de acordo com a motocicleta e modalidade).


Para medição correta o piloto deve ficar com o peso sobre as pedaleiras
Para ajustar o SAG devemos atuar a Pré-carga da mola ou seja, se o SAG é maior do que o indicado devemos aumentar a Pré-carga da mola (apertando a rosca), se o SAG apresentado é menor que o indicado devemos diminuir a Pré-carga da mola (soltando a rosca).

Na suspensão dianteira é possível fazer o mesmo procedimento. Pode-se utilizar como ponto fixo o parafuso da mesa e o eixo da roda. Faça as medições assim como na suspensão traseira (primeiro com a moto no cavalete, depois com o piloto sobre a moto) e anote as medidas. A diferença é que neste caso, como não existe uma regulagem de rosca como da supensão traseira, é necessário colocar ou retirar um calço (interno) para encontrar o ajuste perfeito.

Medida do SAG (números recomendados pelo preparador Valmir Polaco)

Motocicletas Importadas
Enduro: SAG traseiro de 100 a 110mm
Rali: SAG traseiro de 98 a 103mm
Motocross : SAG traseiro de 95 a 105mm
Supercross: SAG traseiro de 90 a 95mm
Supermotard: SAG traseiro de 80 a 85mm
Veloterra: SAG traseiro de 85 a 90mm

Enduro: SAG dianteiro de 80 a 85mm
Rali: SAG dianteiro de 77 a 83mm
Motocross : SAG dianteiro de 75 a 80mm
Supercross: SAG dianteiro de 70 a 75mm
Supermotard: SAG dianteiro de 65 a 70mm
Veloterra: SAG dianteiro de 68 a 72mm

Motocicletas Nacionais (Calculo em percentagem do curso das suspensões)
Enduro: SAG traseiro de 42%
Rali: SAG traseiro de 41%
Motocross: SAG traseiro de 40%
Supermotard: SAG traseiro de 30%
Veloterra: SAG traseiro de 35%

Enduro: SAG dianteiro de 30%
Rali: SAG dianteiro de 28.5%
Motocross: SAG dianteiro de 27%
Supermotard: SAG dianteiro de 20%
Veloterra: SAG dianteiro de 25 %

SAG Livre Traseiro


Foto 4 - A primeira medida deve ser feita com a moto no cavalete
O SAG livre traseiro aponta se realmente a mola é a ideal para a modalidade, peso do piloto e utilização que se pretende para a motocicleta, por isso deve ser medida após o ajuste do SAG.

1 - O primeiro passo é abrir os cliques do retorno da suspensão traseira nos modelo que possuem esta regulagem, caso das motos importadas. Não esqueça de contar os cliques para saber a posição exata em que está a regulagem, permitindo assim o retorno para mesma posição após o término do procedimento. Na sequência coloque a moto sobre um cavalete e meça a diferença entre os dois pontos fixos, Distância 1 (Foto 4).

2 - Retire a moto do cavalete e pressione a suspensão deixando-a retornar para então medir novamente a diferença entre os pontos fixos (Distância 2). Este procedimento deve ser realizado sem o piloto em cima da moto.

O resultado do SAG livre é igual a Distância 1 menos a Distância 2. Nas motocicletas importadas (com suspensões de grande curso) ele deve apresentar um valor de 16 a 26mm para as modalidades motocross, enduro e rali. No veloterra e supermotard o ideal é um número entre 10 e 20mm. Para as motos nacionais (que possuem um curso menor) o valor deve estar entre 14 e 24mm para motocross, enduro e rali. A medida para veloterra e supermotard é de 9 a 18mm.

Caso o SAG livre apresentado seja menor que esses valores é necessário montar uma mola mais dura. Apesar de parecer um contra-senso a explicação técnica é a seguinte: se o piloto for mais pesado é preciso aplicar uma pré-carga maior em cima da mola para obter um SAG perfeito. Ocorre que a energia devolvida pela mola também é maior e isso reflete no momento de se fazer o SAG livre, que acaba apresentando um número menor. A mola mais dura exigirá menos pré-carga mostrando no final um resultado maior no SAG livre.

Se os valores forem maiores é preciso montar uma mola mais mole. O raciocínio é o mesmo da situação inversa, pois a mola mais macia necessitará de mais pré-carga, resultando em um SAG livre menor.


O ajuste do SAG na suspensão dianteira é mais complexo já que exige a abertura das bengalas

Outras dicas importantes:
- É preciso tomar muito cuidado com as folgas das buchas e rolamentos de links que podem provocar medições incorretas. Quando necessário faça a substituição destas peças, pois elas são fundamentais para o perfeito funcionamento do sistema.
- O ajuste do SAG deve ser feito com frequência já que fatores como uma simples regulagem da corrente de transmissão alteram e influenciam a medida.
- Lembre-se: sempre que fizer um ponto de medição faça uma marca no local (referência para não errar o local na medição seguinte).
caco
Tentando a categoria "A"
Tentando a categoria "A"
 
Mensagens: 660
Registrado em: 14 Maio 2007 à35 10:14

Re: Guia completo regulagem suspensão de Motocross

Mensagempor caco » 26 Março 2010 à35 15:30


último:

http://motox.com.br/publix/?id=3238

Funcionamento do hidráulico das suspensões

Entenda como trabalha o conjunto hidráulico da suspensão de sua moto
Por Valmir Polaco e Equipe MotoX - Fotos e Ilustração: Polaco Preparações


1 Em Repouso - 2 Movimento Compressão - 3 Movimento Retorno


Internamente suspensões possuem molas, válvulas e lâminas
No primeiro capítulo da série sobre o funcionamento das suspensões falamos sobre molas, no segundo nosso tema foi a regulagem dos cliques e agora partimos para o hidráulico onde vamos revelar alguns dos segredos de revalvulaçao, construção de genética, laminação, preparação das suspensões e mais do que muito se ouve por aí.

Como dito na primeira coluna desta série, muitos pilotos adquirem uma motocicleta importada e sequer usam 50% do equipamento quando vem logo à cabeça: "vou preparar as supensões", preparar o quê? Sem sequer efetuar uma regulagem de sag, explorar os cliques... Mal andou com a moto e preparar as suspensões é a primeira coisa que vem na cabeça!

Na maioria das vezes o desejo é deixá-la bem molinha no começo do funcionamento e dura no final. Coitado do preparador que se depara com uma destas motocicletas no futuro com o objetivo de desenvolver a genética destas lâminas. O que mais me assusta são suspensões que chegam para executar um trabalho e verifico que foi retirada a maioria das lâminas existentes na valvulação original (que por sinal funciona muito bem), com o intuito de torná-las mais macias. Isto na verdade causa um grande risco para o piloto que está tentando obter maior velocidade na pista e nos obstáculos, limitando muito o equipamento que antes, sem dúvida, era mais eficiente, talvez necessitasse apenas da regulagem correta.


Existem inúmeras válvulas no mercado


Quando se opta pela preparação é preciso cuidado e diversos cálculos para se realizar um bom trabalho
O problema maior é que o piloto, por inexperiência ou falta de sensibilidade, não percebe que depois de realizado o serviço - a chamada preparação - sua suspensão passa a ser um limitador de sua pilotagem! Sente sua moto mais macia, porém não nota que sua velocidade na pista e nos obstáculos mais agressivos foi reduzida devido a genética usada na preparação. Uma das piores coisas para um piloto de motocross é, na hora de um treino ou corrida, sentir-se intimidado a cada volta na passagem por um obstáculo ou mesmo por um buraco no final de uma reta.

Me impressiona o fato de muitos preparadores não calcularem o diâmetro e comprimento da haste do amortecedor, muito menos os orifícios das válvulas, quanto menos o deslocamento desse conjunto submerso no óleo, gerando orifícios gigantes para um grande fluxo de óleo. Depois de preparada uma suspensão como essa, desrespeitando os cálculos, o resultado só é notado na baixa velocidade do hidráulico, quando ela chega na alta velocidade (lembre-se das fases da suspensão, citadas nas outras reportagens da coluna) o efeito do funcionamento é a formação de cavitação, ou seja, é o mesmo que tampar uma seringa com liquido na parte interna e mover o êmbolo (a parte que se assemelha a um pistão) no sentido da sucção. Você vai perceber que ela cria bolhas retornado o êmbolo rapidamente!


Dezenas de lâminas compõem a parte interna da suspensão


Mudanças só podem ser realizadas levando em conta diâmetro e comprimento da haste do amortecedor
Imagine suspensões trabalhando dessa forma numa reta a 50 quilômetros por hora, cheia de buracos. Não adianta ficar fechando clique, nem regular o sag, o problema é muito maior e não resolveria nada. Neste caso faltam lâminas na genética de compressão. Os engenheiros quebram a cabeça para desenvolver as suspensões oficiais, os diâmetros de cartucho, das válvulas e mudar tudo isto sem os cálculos corretos ao invés de adequar a suspensão ao piloto pode tornar impossível um bom ajuste. Outro detalhe muito importante é o retorno (veja na matéria 2) a única coisa que faz as suspensões retornarem são as molas, se você aplicar 100kg de força na mola ela vai te devolver os mesmo 100kg de força e esta é a razão pela qual para ser realizado um bom trabalho não basta o preparador mexer somente nas lâminas de retorno. É bem diferente da parte da compressão, onde por exemplo na recepção de um salto com 20mts de comprimento e 4mts de altura chega-se a gerar por volta de 500kg de impacto dependendo do peso do piloto.

Notamos que no movimento de compressão somente as lâminas que estão sob a válvula flexionam para deixar o óleo passar pelos orifícios. Já no movimento de retorno somente as lâminas que estão sobre a válvula flexionam, deixando assim o óleo passar. Após analisar a ilustração que está no começo desta matéria, concluímos que quanto mais lâminas temos junto à válvula mais dura se torna a suspensão e vice-versa. Portanto a coisa não é tão simples, pois uma suspensão que teria uma quantidade de lâminas para suportar o trabalho na recepção de um salto por exemplo, retornando na velocidade correta, seria inoperante em uma situação de pequenos obstáculos, como uma lombada. Entram ai as velocidades de hidráulico, que são aquelas em que a suspensão se desloca para absorver um impacto, independente da velocidade que esteja a moto.

Vale lembrar e ressaltar que uma suspensão é composta de 3 velocidades de hidráulico tanto no retorno quanto na compressão: baixa, média e alta. Veja onde está sua dificuldade na pista e informe o problema para seu preparador.
caco
Tentando a categoria "A"
Tentando a categoria "A"
 
Mensagens: 660
Registrado em: 14 Maio 2007 à35 10:14

Re: Guia completo regulagem suspensão de Motocross

Mensagempor Elton » 29 Março 2010 à18 14:32


esse topico é muito bom mesmo, nota 10
Imagem
Avatar do usuário
Elton
Tô de olho
Tô de olho
 
Mensagens: 7987
Registrado em: 23 Fevereiro 2007 à48 18:32
Localização: Blumenau - SC

Re: Guia completo regulagem suspensão de Motocross

Mensagempor fernandoleonel » 29 Março 2010 à21 14:45


Desculpe a Ignorância, mais na minha moto tem aquele bujãozinho de gas da suspensão, como saber se está cheio ou vazio? Quando mandar encher? TEM COMO ENCHER?
Avatar do usuário
fernandoleonel
Tentando a categoria "A"
Tentando a categoria "A"
 
Mensagens: 281
Registrado em: 02 Março 2007 à51 08:21

Re: Guia completo regulagem suspensão de Motocross

Mensagempor Elton » 29 Março 2010 à19 16:23


sim tem que manter a pressão correta é só encher, já enchi o meu uma vez na fabrica de extintor de incendio por aqui. Acho que é gas nitrogenio ou hidrogenio... A pressão é bem alta.
Imagem
Avatar do usuário
Elton
Tô de olho
Tô de olho
 
Mensagens: 7987
Registrado em: 23 Fevereiro 2007 à48 18:32
Localização: Blumenau - SC

Re: Guia completo regulagem suspensão de Motocross

Mensagempor fernandoleonel » 29 Março 2010 à12 16:30


Elton escreveu:sim tem que manter a pressão correta é só encher, já enchi o meu uma vez na fabrica de extintor de incendio por aqui. Acho que é gas nitrogenio ou hidrogenio... A pressão é bem alta.



mais tem alguma forma de saber se está vazio ?
Avatar do usuário
fernandoleonel
Tentando a categoria "A"
Tentando a categoria "A"
 
Mensagens: 281
Registrado em: 02 Março 2007 à51 08:21

Re: Guia completo regulagem suspensão de Motocross

Mensagempor apalareti » 28 Setembro 2010 à49 17:16


Não tem nenhum texto melhor do que este.
Avatar do usuário
apalareti
Puxando a fila
Puxando a fila
 
Mensagens: 3475
Registrado em: 01 Agosto 2005 à32 09:58
Localização: SP - Zona Sul

Re: Guia completo regulagem suspensão de Motocross

Mensagempor apalareti » 28 Setembro 2010 à16 17:39


Só um detalhe a acrescentar:

Obedecendo a ordem que deve ser tratado o assunto:
1 - Regulagem das molas
http://www.motox.com.br/publix/?id=2458

2 - Conhecer o funcionamento hidráulico
http://www.motox.com.br/publix/?id=3238

3 - Regular os clicks
http://www.motox.com.br/publix/?id=2774
Avatar do usuário
apalareti
Puxando a fila
Puxando a fila
 
Mensagens: 3475
Registrado em: 01 Agosto 2005 à32 09:58
Localização: SP - Zona Sul

Re: Guia completo regulagem suspensão de Motocross

Mensagempor FILHO » 04 Março 2011 à24 10:04


Alguem sabe como ajustar o amortecedor da CR 85 para por na CRF 230?
Sem moto temporariamente! Mas, tô trabalhando pra isso.
Avatar do usuário
FILHO
Tentando a categoria "A"
Tentando a categoria "A"
 
Mensagens: 249
Registrado em: 13 Julho 2005 à25 20:11
Localização: SANTA LUZIA - MA

Re: Guia completo regulagem suspensão de Motocross

Mensagempor sanches » 09 Maio 2011 à23 22:34


Pessoal tipow so fasso trilha entao da suspensão traseira onde se encontra a garafinha do nitrogenio tipow se tive 10 cliques dexo solto apenas 4 para q ele tracione bem e na debaixo eu solto uns 6 ou 7 para q ele possa seguir o terreno ?
Xr-250(tornado)--->RMX-250--->Kx-450f serie monster
Avatar do usuário
sanches
Tentando a categoria "A"
Tentando a categoria "A"
 
Mensagens: 354
Registrado em: 21 Outubro 2010 à56 19:42
Localização: Ivaipora-Parana

Re: Guia completo regulagem suspensão de Motocross

Mensagempor Anizmaximilian » 23 Maio 2011 à25 17:55


EXCELENTE TÓPICO, PARABÉNS!
Classificados de peças para moto
Anizmaximilian
Tentando a categoria "A"
Tentando a categoria "A"
 
Mensagens: 2
Registrado em: 23 Maio 2011 à37 17:51
Localização: São Paulo - SP

Re: Guia completo regulagem suspensão de Motocross

Mensagempor apalareti » 23 Maio 2011 à00 18:29


sanches escreveu:Pessoal tipow so fasso trilha entao da suspensão traseira onde se encontra a garafinha do nitrogenio tipow se tive 10 cliques dexo solto apenas 4 para q ele tracione bem e na debaixo eu solto uns 6 ou 7 para q ele possa seguir o terreno ?



Sanches, mais acima eu estou sugerindo 3 matérias para serem lidas em uma sequência.
Leia todas que na última sua dúvida será sanada. Mas não deixe de ler em sequência, pois a regulagem do clique depende da mola e etc...
Avatar do usuário
apalareti
Puxando a fila
Puxando a fila
 
Mensagens: 3475
Registrado em: 01 Agosto 2005 à32 09:58
Localização: SP - Zona Sul

Próximo

Voltar para Preparação e Questões Técnicas de Motos Off-Road

Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Google [Bot] e 1 visitante

cron